• Gustavo Gaiarsa

Aperitivo: o Happy Hour à Italiana

Acho que em qualquer lugar do mundo ocidental é assim: acaba o expediente e o pessoal vai pros bares tomar uma cervejinha e petiscar alguma coisa para abrir o apetite para o jantar antes de encarar o trânsito de volta para casa. Na Itália, com toda a tradição eno-gastronômica milenar, não poderia ser diferente. O happy hour não foi inventado aqui, isso é tradição anglo-saxã, diz-se que inventada pela marinha mercante americana nos anos de 1930, mas a Itália inventou o aperitivo,  muito antes de existir o happy hour. E reinventou, em época de crise, recriando uma antiga tradição e atraindo clientela para os bares e restaurantes pra tomar um coquetel e petiscar na hora feliz.

A tradição moderna do aperitivo foi criada em Torino, em 1786, por Antonio Benedetto Carpano, o inventor do vermute, bebida produzida à partir de vinho branco aromatizado com ervas, que ao longo dos anos ganhou diversas versões de variados fabricantes, como a Cinzano e a Martini & Rossi. O vermute se difundiu pela Itália à partir de Torino e começou a ser consumido no final de tarde, acompanhado de queijos, frios, grissinis, azeitonas e legumes cortados, difundindo assim o hábito do aperitivo por toda a península.


A tradição se difundiu tanto que a Itália virou especialista em criar coquetéis que hoje são considerados clássicos e fazem sucesso em todo o mundo. O Bellini por exemplo foi inventado em Veneza, no tradicional Harrys Bar, a mistura de prosecco e polpa de pêssego fresca acabou levando o nome de um pintor do Renascimento veneto cujas tonalidades de tintas eram frequentemente puxadas para os tons quentes. O Negroni, mistura de vermute dom Campari e gin que de uns tempos pra cá virou moda no Brasil, foi inventado aqui em Florença no início do século XX em um bar que infelizmente não existe mais, o Caffè Casoni, e é o coquetel ideal para dias frios. Também não dá pra deixar de lado o Spritz, originalmente vinho de alto teor alcoólico alongado com água com gás que de uns tempos pra cá ganhou diversas variações e virou o coquetel oficial do verão em sua versão com Aperol, prosecco, água com gás, muito gelo e uma rodela de laranja.

Claro que não só de coquetéis se vive na Itália, não dá pra deixar de lado os excelentes vinhos locais,  e aqui em Florença, capital e coração da Toscana, um belo Chianti é a pedida para os dias mais frios enquanto os dias quentes podem ser acompanhados de um branco fresco como o Pomino, uma Vernaccia di San Gimignano ou um Pinot Grigio da região do Veneto.

Por isso e por outras o aperitivo continua sendo um ritual sagrado para muitos italianos, tantas vezes até mesmo substituindo o jantar. Isso porque muitos bares hoje oferecem buffets de petiscos incluídos no preço da bebida. No horário do aperitivo, geralmente das 18:00 às 22:00, cobra-se um pouco a mais pela primeira bebida e o cliente tem direito a se servir à vontade nos buffets de petiscos. Esses buffets geralmente dispõe de diversas opções de massas, saladas, carnes e, às vezes, até mesmo peixes e frutos do mar. Não é pra menos que os italianos se referem à alguns aperitivos como apericena, uma mistura de aperitivo e jantar (cena).

Aqui em Florença tem dois aperitivos que gostamos muito de frequentar, e que são muito diferentes entre si: o Soul Kitchen e o Tamerò, ambos restaurantes que oferecem também bons buffets na hora do happy hour.

O Soul Kitchen, bar na região super boemia de Santa Croce que pega o nome emprestado de um disco do The Doors, já foi eleito um dos melhores de Florença em anos passados. Ainda que durante o dia seja um restaurante normal, na hora do aperitivo funciona somente como bar, o buffet tem sempre dois ou três tipos de massas, polenta frita, crostini toscano, pappa al pomodoro e algumas outras especialidades que mudam frequentemente de acordo com a estação do ano, podendo incluir cogumelos frescos e alguns tipos de carne dependendo do dia. O bar costuma ter uma boa seleção de vinhos e é bem competente nos coquetéis clássicos e em suas variações.

Já o Tamerò (contração de ti amerò, ou seja, te amarei) é um restaurante e bar com cozinha italiana contemporânea impecável na região de Santo Spirito, do outro lado do Rio Arno e em frente à igreja construída por Filippo Brunelleschi, o mesmo que fez a famosa cupola do Duomo de Florença. A Praça de Santo Spirito é um lugar super animado e boêmio, ideal para uma noite de verão ao ar livre, e a ótima variedade de vinhos e coquetéis do Tamerò, construído em um lugar que já foi uma oficina mecânica, é um convite irrecusável para um fim de dia agradável na companhia de amigos, boa comida e boa bebida. O chef do bar e restaurante é sardo (natural da Sardenha, a ilha com as praias mais lindas da Itália), e capricha tanto no aperitivo quanto no cardápio, que muda em média a cada 3 meses, junto com as estações do ano.

Agora com licença que vou fazer meu aperitivo com os amigos!

Serviço:

Soul Kitchen
 - Via de’ Benci 34/R - Florença - Itália

Aberto de segunda à sexta das 11:00 às 02:00.Sábados e domingos das 18:00 às 02:00

Tamerò Pasta Bar - 
Piazza Santo Spirito 11/R - Florença - Itália

Aberto todos os dias das 12:00 às 15:00 e das 19:00 às 02:00.

Fotos: Gustavo Gaiarsa

#guiabrasileiro #toscana #sigaessetomate #guianatoscana #italia #viagemeturismo #florença #firenze #tourguide #pomodorotours #privatetour @pomodorotours #aperitivo #culinaria #italiana #dicas #viagem

Pomodoro Tours di Pelosini Gaiarsa Gustavo P.IVA 06723760481

  • Facebook
  • Instagram