• Gustavo Gaiarsa

Trens, carros e aviões: como chegar a Florença?

Você está planejando sua viagem para a Itália e colocou Florença como destino imperdível (e é mesmo), aí apareceu a dúvida: como é que eu faço para chegar em Florença? Tem voo direto do Brasil? Alugo um carro? Vou de trem? Ônibus? Navio?


Bom, tem várias maneiras de chegar aqui, e para te ajudar a decidir como você vai chegar ao berço do Renascimento, resolvi mostrar as vantagens e desvantagens de cada maneira.

Avião

Embora Florença tenha um aeroporto, o Amerigo Vespucci, ele é muito pequeno e não opera voos intercontinentais, portanto não existem voos diretos do Brasil para Florença.


Apesar disso, o Amerigo Vespucci é bem servido de conexões dentro da Itália e da Europa, portanto se Florença é seu primeiro destino na Itália as alternativas são fazer uma escala na própria Itália, o que só é possível se você pegar um voo da Alitalia com escala em Roma, ou com outra companhia aérea que faça escala em algum outro país da Europa.


Se sua opção for fazer escala em um outro país que não a Itália fique atento aos tempos das escalas, escalas com menos de 2 horas de duração podem fazer com que sua bagagem se perca e chegue depois de você no destino final, principalmente em aeroportos grandes e muito movimentados.


Entre as opções de voos com somente uma escala, normalmente a Swiss faz escala em Zurique, a AirFrance em Paris, a KLM em Amsterdam, a Iberia em Madri e a Lufthansa em Frankfurt. A Latam e a British fazem uma coisa que eu não recomendo, que é trocar de aeroporto em Londres. Não recomendo trocar de aeroporto pois nesse caso você terá que fazer a imigração no país onde você vai trocar de aeroporto, pegar sua bagagem, tomar um taxi para o outro aeroporto, fazer check-in, despachar bagagem, passar pelo controle de segurança e só então embarcar, tudo isso depois de ter voado umas 11 horas não é nada legal.


No aeroporto de Florença há, obviamente, um ponto de taxi (tarifa fixa de €22 durante o dia, €25,30 das 22:00 às 6:00 e €24 para feriados + €1 por bagagem para hotéis no centro da cidade) e serviços de ônibus expressos para a cidade (não recomendo caso seja sua primeira vez na cidade e tenha bagagem). Além disso, caso você tenha reservado um carro numa locadora do aeroporto, ha ônibus que partem a cada 15 minutos para o pátio onde ficam as locadoras. Se tem dúvidas se vale a pena alugar um carro na cidade dê uma olhada nesse artigo que escrevi sobre isso.


Outros aeroportos próximos a Florença são Pisa e Bolonha, que operam voos intercontinentais e podem ser opções viáveis, embora cansativas por conta da viagem de uma dessas cidades até Florença.


A viagem de Pisa a Florença em ônibus dura 70 minutos e custa €12 por pessoa. Os ônibus partem a cada 45 minutos, aproximadamente, e têm como destino final em Florença a rampa externa da Estação Santa Maria Novella, conhecida como "Binario 16". Se ao invés de Pisa você aterrisar em Bolonha existem 2 opções para chegar a Florença, os ônibus expressos que partem do próprio aeroporto (a viagem dura um pouco menos de 2 horas) ou o trem rápido, mais caro, mas que faz a viagem até a Estação Santa Maria Novella em aproximadamente meia-hora. Em qualquer um desses casos há um ponto de taxi 24 horas na estação Santa Maria Novella.


Trem

Chegar a Florença de trem é a melhor alternativa caso você esteja fazendo uma viagem mais longa pela Itália e visitando várias cidades, pois a rede ferroviária da Itália é extremamente eficiente para viagens dentro do país.


Florença é servida por 5 estações diferentes de trens, a principal delas e provavelmente a única que você vai utilizar, é a Santa Maria Novella, ou Firenze SMN, como pode aparecer nos painéis e nas máquinas de venda de bilhetes. A estação é frequentada por 160.000 pessoas por dia, e partem ou chegam aqui 58 milhões de passageiros por ano, indo ou vindo para todas as partes da Itália.


As principais cidades (Roma, Florença, Milão, Veneza, Nápoles, Padova, Vicenza, Brescia, Rimini, Ancona, Pescara, Udine, Bolonha, Torino, Bari, Trieste e Salerno) estão conectadas por trens rápidos, como os Frecciarossa da Trenitalia ou os trens da Italotreno, que vajam a até 300 km/h. Cidades um pouco menores mas ainda assim importantes são servidas pelos Frecciargento, que viajam a até 250km/h, que operam também em estações secundárias das grandes cidades.


Existem também os trens regionais, mais lentos, que operam em cidades pequenas e dentro dos limites de cada estado, que são aqueles, por exemplo, utilizados para ir de Florença a Pisa ou a Arezzo.


A grande vantagem de viajar de trem pela Itália é que você não precisa chegar com duas horas de antecedência à estação, como você chegaria em um aeroporto, por exemplo. Basta chegar uns 20 minutos antes da partida do trem, validar seu bilhete, embarcar, colocar sua bagagem no vagão de bagagens e aproveitar a paisagem. É muito importante, entretanto, observar as normas de segurança para bagagens nos trens, como relatei no meu artigo sobre segurança em Florença.


Carro

Se você gosta de dirigir, alugar um belo carro chegar em Florença pelas estradas panorâmicas da Itália é um prato cheio. As estradas estatais são bem asfaltadas e bem sinalizadas, como por exemplo, a A1- Autoestrada del Sole, que liga Roma a Bolonha passando pelo sul da Toscana e chegando a Florença.


À partir de Florença, de carro, você poderá explorar também várias belas cidades vizinhas e áreas viníferas como a região do Chianti (embora eu não aconselhe dirigir se for provar os vinhos, nesse caso é melhor entrar em contato comigo e fazer o passeio que proponho pelo Chianti), dirigindo por estradas menores e estreitas como a Chiantigiana.


Saiba, entretanto, que chegando a Florença você deixará o carro em um estacionamento e terá que fazer tudo a pé ou de taxi, pois todo o centro histórico é uma ZTL (Zona de Tráfego Limitado), onde carros alugados tem sérias limitações de circulação. Para mais informações sobre isso dê uma olhada no já citado artigo que escrevi sobre alugar ou não um carro em Florença, portanto avalie bem essa possibilidade, e se tiver qualquer dúvida entre em contato comigo.


Navio

Não existe a possibilidade de chegar a Florença de navio. O Rio Arno, que atravessa a cidade, já foi navegável, mas isso faz mais de 500 anos. No máximo, você pode chegar a Livorno, em um cruzeiro, e pegar um transfer para passar o dia em Florença, o que nos leva ao nosso próximo tópico.


Transfer

Embora a Itália seja um país relativamente pequeno, os transfers entre as grandes cidades (Roma-Florença ou Milão-Florença, por exemplo) podem ser bem caros, muitas vezes inviabilizando-os como meio de transporte se você está viajando sozinho ou com seu cônjuge.


Um transfer pode valer à pena, entretanto, se você estiver viajando em um grupo de até 8 pessoas (capacidade máxima de uma mini-van), pois aí o custo se dilui por um número maior de passageiros. Vale à pena também caso você esteja fazendo um cruzeiro com parada em Livorno e queira vir a Florença fazer um passeio de um dia.


Como você viu, existem várias maneiras de chegar à capital da Toscana, portanto arrume as malas, reserve seu passeio comigo e boa viagem!


#guiabrasileiro #toscana #toscanaautentica #sigaessetomate #guianatoscana #italia #viagemeturismo #florença #roteirosdeviagem #dicasdeviagem #roteiropersonalizado #viajar #turismo #firenze #tourguide #pomodorotours #privatetour @pomodorotours

Pomodoro Tours di Pelosini Gaiarsa Gustavo P.IVA 06723760481